PRIMEIRA PÁGINA | FOTOGRAFIA | SÉRIES | TWITTER | FACEBOOK
Destaque Quitandas e a volta aos tempos românticos Thiago Schwartz


Blog •

quarta-feira, agosto 26, 2009

A extinção do bicho de pé

*Thiago Schwartz | www.twitter.com/perereco

O aumento nos casos de alergia respiratória e alimentar nas últimas gerações, constatado através de diversos estudos teóricos e empíricos, revela aquilo que desconfiávamos há tempos: O excesso de limpeza afeta o desenvolvimento do sistema imunológico do ser humano.

Nas gerações atuais, existe uma espécie de ojeriza à sujeira. Os pais, quase sempre com uma visão de curto prazo a respeito do assunto, privam os filhos de certos prazeres inerentes à sujeira. Andar descalço é um sacrilégio. Jogar bola no pasto lamacento, nem pensar.

Na minha humilde opinião, essa redoma de limpeza tem início desde o nascimento da criança. Pedir para uma mãe utilizar uma fralda de pano é considerado um crime. Não imagino uma criança criada no leite com pera tomando água como fazíamos antigamente, após os joguinhos de futebol (leia uma descrição perfeita do método aqui). Hoje em dia, devem levar água numa garrafinha térmica ou num daqueles squeeze. Conheço pessoas com seus 18, 19 anos, que nunca pegaram bicho de pé. Que nunca quebraram o braço por pendurarem-se num galho podre de goiabeira. Que nunca arrancaram a unha do dedão chutando uma bola molhada.

Meu filho vai ter bicho de pé. Vai aprender a tirar o bicho de pé com uma agulha. Vai aprender que quando a bola estiver molhada, tem que bater de lado de pé, senão a unha voa. Vai aprender que mexer na terra não vai fazer ele ficar doente. Que brincar com o cachorro não é uma atividade de risco. Que antissépticos com agentes bactericidas que matam 99% dos germes não curam tão bem uma ferida quanto uma esponja com sabão e um beijo de mãe. Vai aprender a brincar sem ter que ficar se policiando sobre a coisa certa a ser feita. A sujeira sai no banho, à noite.

22 comentários:

Eduardo Daniel disse...

Ótimo texto! Pra variar...

Outro dia, ao passar em frente a uma dessas escolinhas de futebol com gramado artificial, lamentei por aquelas pobres crianças.

Enquanto jogavam regidas por regulamentos, uniformizadas, revezando-se com as que estavam no banco de reservas, ali do lado, um enorme terro baldio que abrange uma quadra inteira, com árvores frondosas em suas margens, jazia solitário, sem uma bola, sem uma briga, sem um chute descalço, sem uma roseira no pé de um menino.

Saudades desgraçadas que não deixam acreditar que essa época é melhor que a nossa...

Thiago Preco Schwartz disse...

Quando eu era pequeno, meus tios me contavam sobre como nossa juventude estava sendo desperdiçada com Jaspion e Atari. Mas acho q a nossa juventude soube como aproveitar a TV e o videogame sem sermos sugados por eles. Jaspion passava 17:30, logo depois do futebol no pasto onde viria a se instalar o Giassi.

Raph4 disse...

Assino embaixo, preco. Perfeito!

Viviany disse...

e se for menina? :P

Thiago Preco Schwartz disse...

Se for menina, será sacrificada em oferenda a algum deus da fertilidade.

Aldrei disse...

dizem que ísis é uma boa

Fernando Pudim disse...

Coisa de Gênio!

Anônimo disse...

O problema vai ser achar outras crianças que queiram jogar bola na lama, se pendurar em árvores, andar de bicicleta, etc ;)

Cassio disse...

"Que antissépticos com agentes bactericidas que matam 99% dos germes não curam tão bem uma ferida quanto uma esponja com sabão e um beijo de mãe."

Falou TUDO!

tarsila disse...

justo!

renan disse...

bom texto thiago.
ninguém mais tem cicatriz no joelho, já notou?

parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

Nossa quando lembramos de nossa infancia bate uma dorzinha no peito né?!

Mas vou falar uma coisa minha filha tem 8 anos e faz tudo que eu fiz um dia... Sobe em arvore, joga bola com os primo, se suja de lama, e da ultima vez que voltou da chacara da vovó trouxe 3 bichos de pé kkkkkkkkkkkk
E ainda por cima brinca como toda menina de boneca e de casinha... tem coisa melhor?!
Eu como mãe, me orgulho muito disso.

Thiago Preco Schwartz disse...

Ainda bem que nossa geração está vendo que algo está errado, e dá esse tipo de liberdade aos filhos \o/

Parabéns =D

André disse...

Eu sou um desses, que por excesso de zlo da minha mãe tenho agora 17 anos e um sistema imunitário horrível. : /

Hurrikan Mann disse...

Muito bom o texto.Excesso de higiene pode dar asma.Na minha escola todo mundo é crianção:brincamos de escorregar na lama há uns meses

Anônimo disse...

ótimo texto, como tds os outros. Novidade? nao p mim.... e me sinto privilegiada por isso...
mas meu filho vai se sujar soh um pouquinho, nao muito. subir em árvore? ahn.. acho q nao mto alto tb.... =P
25 s2 1l4 l53s4...

Adriana disse...

Tive muito bicho de pé, pq qndo ia pro sitio daminha vo, eu ia escondida no chiqueiro pra minha mãe naum ver...

Pulava muro pra roubar goiaba do vizinhu, ja arranquei unha do dedão, ja queberi meu braço por andar de bike, em aperecidinha, sem as mãos (alguem ja viu como são as ruas de aparecidinha) Sinto saudades...

BNÊ disse...

Quando perdia a unha do dedão, a mãe pegava uma tirinha rasgada até o meio e molhada com querosene - sim querosene! - enrolava e dava nó.
Brincava de tarzã nas árvores à beira do rio se pendurando em cipó, que quebrou e felizmente caí e saí ileso de cima de tocos e árvores menores. Dali, à frente montei em cavalo no pasto amarrando com cipó e caí e torci o pulso, em tarde que enforquei o trabalho, na parte da manhã fazia o 4º ano primário. 11 anos e já trabalhava em gráfica. Vixi! Fui tá ficando grande.

gabriel.rj disse...

Todos aqui moravam na roça, não é possível.. Tenho meus 18 anos e, desde que nasci, não me recordo de ter visto (pelo menos na cidade do rio) lugares propícios a brincadeiras tais quais as descritas pelas pessoas que comentaram aqui em cima..
De qualquer maneira..bom texto. Não pecaria no excesso ao chamá-lo de excelente...foi bom.

Eduardo Daniel disse...

Thiago, sobre tua frase "Jaspion passava 17:30, logo depois do futebol no pasto onde viria a se instalar o Giassi", vale ainda dizer que naquela época, as crianças não tinham a tv a cabo com canais de desenhos 24 horas por dia, todos os dias da semana. Programação infantil, para nós, tinha hora marcada e certamente, era muito gostoso e valorizado.

Jéka disse...

xpozpxoz sou menina e sempre aproveitei a vida, até futebol na chuva correndo descalça *-*, booons tempos

Graci Polak disse...

O problema, de verdade, é quando o moleque pega ao menos dois bichos por semana, quando você descobre uma pulgona de semanas na ponta do dedo e tem de tirar com cortador de unha. Algumas vezes.

Eu já tenho um filho e permito que ele seja pior do que eu era quando criança. Anda descalço, cata fruta no mato, se engalfinha com cachorro, pula em poça de lama... Fora os bichos de pé, problema mesmo é limpão o pezão encardido todo dia, hehe...

Excelente texto!

Postar um comentário

 

CONTATO
Colaboradores Ana Carla Teixeira, Anderson Paes, Camila Rufine, Carlos Karan, Deyse Zarichta, Eduardo Daniel, Emanuela Silva, Emanuelle Querino,
Emmanuel Carvalho, Fabiano Bordignon, Fabrício Espíndola, Francine de Mattos, Gabriel Guedes, Germaá Oliveira, Guilherme Marcon, Isabel Cunha, Kellen Baesso, Manuela Prá, Patrícia Martins, Thiago Antunes, Thiago Schwartz, Tiago Tavares, Valter Ziantoni,Van Luchiari, Vanessa Feltrin, Vitor S. Castelo Branco, Viviany Pfleger

©2010 GeloEmMarte.com Todos os direitos reservados. As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seus respectivos autores.